Tendo transitado em julgado a sentença que condenou o réu revel, a simples junção aos autos de uma procuração forense, sem que haja sido arguida a falta de citação do réu, facto de que o tribunal também não poderia conhecer por se ter esgotado o seu poder jurisdicional, não tem relevo para efeitos de sanação do vício de falta de citação. Com efeito, e ainda que processo tramite digitalmente, a junção da procuração aos autos, sem arguição da falta de citação, não configura uma intervenção relevante para efeitos de sanação da nulidade decorrente da falta de citação, podendo tal nulidade ser arguida em sede de embargos de executado na ação executiva instaurada para a execução dessa sentença, desde que o faça no prazo para o efeito.

Veja aqui: